Museologia Social e Sociomuseologia

Museologia Social e Sociomuseologia

Efeito e causa da verdadeira revolução teórica e prática que, nos últimos tempos, vem tendo lugar na área das Ciências do Património e da Museologia, o Curso de Especialização em Museologia Social, quer pela sua qualidade substantiva quer pela quantidade das pessoas já formadas, deu um contributo de...

Saved in:
Journal Title: Cadernos de Sociomuseologia
Author: Fernando Santos Neves
Language: Portuguese
Get full text: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/466
Resource type: Journal Article
Source: Cadernos de Sociomuseologia; No 1 (Year 1993).
Publisher: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Usage rights: Reconocimiento (by)
Categories: Social Sciences/Humanities --> Social Sciences, Interdisciplinary
Abstract: Efeito e causa da verdadeira revolução teórica e prática que, nos últimos tempos, vem tendo lugar na área das Ciências do Património e da Museologia, o Curso de Especialização em Museologia Social, quer pela sua qualidade substantiva quer pela quantidade das pessoas já formadas, deu um contributo decisivo para a consolidação entre nós, das novas vidências e vivências museológicas, que se procuraram sintetizar na designação terminológica e epistemologivamente inovadora de Museologia Social ou Socio-Museologia. No momento em que em que o referido Curso de Especialização em Museologia Social se vai transformar no primeiro Curso de Mestrado do ISMAG/ULHT e em ordem à prossecução, intensificação e alargamento dos seus objectivos originais, é criado no âmbito da mesma Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias o Centro de Estudos de Socio-Museologia (CESM). Nada melhor que estas palavras fundadoras do Centro de Estudos de Socio-Museologia (Ordem de serviço de 26 de Março de 1993) para colocar nas primeiras páginas de uma iniciativa como a dos Cadernos de Museologia, a qual vem demonstrar com factos (que, por sinal, também são palavras escritas) a verdade daquelas afirmações, além de constituir, para os demais centros e áreas de estudo da ULHT, o "bom exemplo", que deverá servir não de imitação, mas de inspiração... Na sua voluntária discreção, não poderiam estes Cadernos de Museologia constituir também os primeiros passos em ordem a uma já necessariamente menos discreta Revista de Humanidades e Tecnologias do conjunto de todos os departamentos e outras unidades científico-académicas da ULHT ?