Investigações brasileiras sobre o transtorno de personalidade borderline: uma revisão integrativa 10.20513/2447-6595.2016v56n1p29-37

Investigações brasileiras sobre o transtorno de personalidade borderline: uma revisão integrativa 10.20513/2447-6595.2016v56n1p29-37

Transtorno de Personalidade Borderline (TPB) é um sofrimento mental grave que apresenta demandas complexas à atenção clínica e à sociedade, principalmente devido à instabilidade das relações interpessoais e intrapessoais, assim como a impulsividade acentuada e o risco de suicídio. O presente estudo...

Saved in:
Journal Title: Revista de Medicina da UFC
First author: Lucas de Holanda Leite
Other Authors: Eugenio de Moura Campos
Traslated keyword:
Language: Undetermined
Get full text: http://periodicos.ufc.br/revistademedicinadaufc/article/view/19841
Resource type: Journal Article
Source: Revista de Medicina da UFC; Vol 56, No 1 (Year 2016).
DOI: http://dx.doi.org/10.20513/2447-6595.2016v56n1p29-37
Publisher: Universidade Federal do Ceará
Usage rights: Reconocimiento (by)
Categories: Health Sciences, Social Sciences/Humanities --> Health Care Sciences --AMP-- Services
Abstract: Transtorno de Personalidade Borderline (TPB) é um sofrimento mental grave que apresenta demandas complexas à atenção clínica e à sociedade, principalmente devido à instabilidade das relações interpessoais e intrapessoais, assim como a impulsividade acentuada e o risco de suicídio. O presente estudo objetivou realizar uma análise da produção científica brasileira acerca do TPB. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura publicada no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2014 nas bases de dados: Lilacs e Medline. A seleção foi baseada no entre cruzamento de palavras-chave indexadas nos Descritores em Ciências da Saúde: “Borderline Personality Disorder”, “Therapy”, “Psychotherapy” e “Drug Therapy”, sendo utilizadas todas as combinações possíveis, com os recursos disponibilizados pelos operadores booleanos. A partir desse levantamento, identificou-se a ênfase dada à busca de diagnóstico por neuroimagem; o relato de experiências exitosas de psicoterapias e a lacuna em pesquisas que discutam a utilização de fármacos. Evidencia-se a complexidade dos critérios diagnósticos e as graves características do TPB, como autolesões e tentativas de suicídio. Por fim, ressalta-se a necessidade de que se construa uma atenção em saúde integral, envolvendo familiares e comunidade, na busca por produzir um cuidado resolutivo.