Universidade e sociedade: diálogos silenciados

Universidade e sociedade: diálogos silenciados

Infelizmente, temos verificado que há um fosso entre o lugar de produção científica, as universidades e a comunidade. Decerto que existe, por parte de alguns pesquisadores, um esforço no sentido de aproximar a produção científica das comunidades, mas, no seu conjunto, pode se afirmar que este é um d...

Guardado en:
Título de la revista: Revista Lusófona de Educação
Primer autor: Maria Ivete Basniak
Otros autores: Antônio Charles Santiago Almeida;
Sani de Carvalho Rutz da Silva
Idioma: Portugués
Enlace del documento: http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/6390
Tipo de recurso: Documento de revista
Fuente: Revista Lusófona de Educação; Vol 39, No 39 (Año 2018).
Entidad editora: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Derechos de uso: Sin permisos preestablecidos
Materias: Ciencias Sociales y Humanidades --> Educación e Investigación Educativa
Ciencias Sociales y Humanidades --> Ciencias Sociales
Resumen: Infelizmente, temos verificado que há um fosso entre o lugar de produção científica, as universidades e a comunidade. Decerto que existe, por parte de alguns pesquisadores, um esforço no sentido de aproximar a produção científica das comunidades, mas, no seu conjunto, pode se afirmar que este é um diálogo interrompido. Neste trabalho, objetivamos discutir possibilidades e desafios da extensão universitária ser um meio para aproximar o conhecimento produzido na universidade da sociedade, para que seja relevante socialmente, acessível e pronto para ser utilizado. Assim, partimos da hipótese de que há um distanciamento entre as pesquisas produzidas e a extensão praticada nas universidades brasileiras. Verificamos isso comparando a produção acadêmica de professores que possuem programas e projetos de extensão, cadastrados na divisão de extensão de uma universidade pública brasileira. A análise dos objetivos desses projetos junto a experiência do projeto do Laboratório Gilberto Freyre, nos permitem também tecermos uma crítica à forma como a extensão universitária é realizada, ou seja, a universidade produz a extensão sem uma escuta às comunidades. Todavia, não se pode objetar a impossibilidade de fazer com que ciência e sociedade possam, de forma fluída, dialogar e produzir saber. Palavras-chave: universidade; sociedade; extensão; ciência.