ECONOMIA CRIATIVA E O DESENVOLVIMENTO NO MUNICÍPIO DE TAUBATÉ-SP

ECONOMIA CRIATIVA E O DESENVOLVIMENTO NO MUNICÍPIO DE TAUBATÉ-SP

A Economia Criativa é um conceito cunhado recentemente que tem a criatividade como principal geradora de atividade econômica. Relaciona-se com o universo cultural do homem e utiliza-se de tecnologias da informação para estabelecer redes produtivas. O objetivo geral desse artigo é identificar as inic...

Saved in:
Journal Title: Revista brasileira de gestão e desenvolvimento regional
First author: Edson Trajano Vieira
Other Authors: Felipe Rezende Santos;
Monica Franchi Carniello
Traslated keyword:
Language: Undetermined
Get full text: http://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/view/2317
Resource type: Journal Article
Source: Revista brasileira de gestão e desenvolvimento regional; Vol 12, No 2 (Year 2016).
Publisher: Universidade de Taubaté
Usage rights: Reconocimiento (by)
Categories: Social Sciences/Humanities --> Planning --AMP-- Development
Social Sciences/Humanities --> Public Administration
Abstract: A Economia Criativa é um conceito cunhado recentemente que tem a criatividade como principal geradora de atividade econômica. Relaciona-se com o universo cultural do homem e utiliza-se de tecnologias da informação para estabelecer redes produtivas. O objetivo geral desse artigo é identificar as iniciativas de economia criativa no município de Taubaté/SP. O recorte feito aborda atividades artísticas, relacionadas aos segmentos de artes visuais, música, literatura e teatro, e aos aspectos que tangem à paisagem urbana, relacionados a essas áreas, por serem atividades que podem acontecer com muito pouca estrutura e estabelecem-se a partir dos talentos individuais. Com isso, foi possível vislumbrar a infraestrutura e o capital humano existentes na cadeia produtiva dessas economias na cidade. Taubaté empregava na economia criativa 1.682 trabalhadores, em 2012, a metade deles na área da arquitetura e engenharia, enquanto que as áreas mais ligadas às atividades culturais, como artes e músicas, a pesquisa da Firjan aponta dados mais modestos, se considerado o potencial apresentados a partir da pesquisa a partir dos dados da Secretaria Municipal de Cultura. No entanto, a pesquisa Firjan foi feita a partir dos dados de emprego formal, e não foram contabilizadas as pequenas empresas em que os donos são os prestadores de serviços e as atividades informais, assim as atividades culturais podem ter sido subdimensionadas. Espera-se que esta pesquisa, contribuindo para uma melhor compreensão dessa realidade, possa traçar um diagnóstico, levantando alternativas para a potencialização dessas modalidades econômicas na promoção de desenvolvimento.