Comparação entre a formação de relações de identidade e singularidade com estímulos olfativos em ratos

Comparação entre a formação de relações de identidade e singularidade com estímulos olfativos em ratos

Identidade e singularidade são relações obtidas através de processos de discriminação condicional que podem ser estudados utilizando o procedimento de “matching-to-sample” (MTS).Quando o sujeito responde sob controle dessas relações diante de estímulos novos, tem-se identidade e singularidade genera...

Saved in:
Journal Title: Acta Comportamentalia
First author: Mirela Louise Alves
Other Authors: Fábio Leyser Gonçalves
Palabras clave:
Language: Spanish
Get full text: http://www.revistas.unam.mx/index.php/acom/article/view/68119
Resource type: Journal Article
Source: Acta Comportamentalia; Vol 26, No 4 (Year 2018).
Publisher: Universidad Nacional Autónoma de México / Universidad Veracruzana
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - CompartirIgual (by-nc-sa)
Categories: Health Sciences --> Psychology, Multidisciplinary
Health Sciences, Social Sciences/Humanities --> Psychology, Experimental
Abstract: Identidade e singularidade são relações obtidas através de processos de discriminação condicional que podem ser estudados utilizando o procedimento de “matching-to-sample” (MTS).Quando o sujeito responde sob controle dessas relações diante de estímulos novos, tem-se identidade e singularidade generalizadas. O objetivo deste estudo foi avaliar, de forma mais precisa, o momento em que as relações de identidade e singularidade são generalizadas. Para isso, seis ratos Wistar machos foram submetidos a um treino de singularidade e quatro, a um treino de identidade, no qual eles deveriam cavar em copos de areia contendo os estímulos olfativos em procedimento de MTS. O experimento foi dividido em três etapas, cada uma contendo treino de um par de estímulos e teste de generalização com pares não-treinados. No procedimento de singularidade, dois ratos demonstraram generalização após o treino de um par de estímulo, um após o treino de dois pares, e dois após o treino dos três pares; um sujeito não atingiu o critério de generalização. No procedimento de identidade, apenas um dos quatro sujeitos demonstrou generalização. De uma forma geral, o treino aplicado foi mais eficaz para relações de singularidade do que de identidade e foi possível demonstrar generalização utilizando poucos estímulos e poucas sessões de treino.