Do “Tractatus” às “Observações filosóficas”: reflexões sobre a natureza da filosofia

Do “Tractatus” às “Observações filosóficas”: reflexões sobre a natureza da filosofia

No presente artigo, analiso a concepção de Wittgenstein sobre a natureza e a função da filosofia, discutindo o seu método deflacionista para o tratamento dos problemas filosóficos. Apresento os motivos pelos quais Wittgenstein teria compreendido a filosofia não como uma atividade descritiva, mas com...

Saved in:
Translated title: From the “Tractatus” to the “Philosophical remarks”: reflections on the nature of philosophy
Journal Title: Griot. Revista de Filosofía
Author: Acríssio Luiz Gonçalves
Language: Portuguese
Get full text: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/1140
Resource type: Journal Article
Source: Griot. Revista de Filosofía; Vol 19, No 2 (Year 2019).
DOI: http://dx.doi.org/10.31977/grirfi.v19i2.1140
Publisher: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial (by-nc)
Categories: Social Sciences/Humanities --> Philosophy
Abstract: No presente artigo, analiso a concepção de Wittgenstein sobre a natureza e a função da filosofia, discutindo o seu método deflacionista para o tratamento dos problemas filosóficos. Apresento os motivos pelos quais Wittgenstein teria compreendido a filosofia não como uma atividade descritiva, mas como uma atividade elucidativa, cujo propósito central seria dissolver os problemas filosóficos por meio da análise lógica (e/ou lógico-fenomenológica). Para cumprir este propósito, divido o artigo em três seções, nas quais discuto o pensamento de Wittgenstein a partir do Tractatus Logico-philosophicus (1921), de Some Remarks on Logical Form (1929) e das Philosophical Remarks (de 1929-1930), respectivamente. Nesse percurso, apresento a crítica de Wittgenstein à possibilidade de interpretar a filosofia como uma disciplina que, assim como a ciência, seja capaz de oferecer uma representação teórica sobre algum domínio de objetos ou fatos. Posteriormente, analiso algumas mudanças em sua descrição da atividade filosófica, mostrando que, até o início do período intermediário de sua filosofia, Wittgenstein mantém inalterada a ideia de que a função da filosofia seria a de estabelecer a distinção entre problemas teóricos reais (solucionáveis) e pseudoproblemas filosóficos.
Translated abstract: In this article, I analyze Wittgenstein’s conception of the nature and function of philosophy, discussing his deflationary method used for the treatment of philosophical problems. I show the reasons by which Wittgenstein would have understood philosophy as an elucidative activity, whose main purpose would be to dissolve philosophical problems through the logical (and/or phenomenological) analysis. In order to do so, I divide the article into three sections, in which I discuss Wittgenstein's thinking from the Tractatus Logico-philosophicus (1921), from Some Remarks on Logical Form (1929) and from the Philosophical Remarks (1929-1930), respectively. Initially, I present Wittgenstein's critique of the possibility of interpreting philosophy as a discipline that, as with science, can offer a theoretical representation of some domain of objects or facts. Subsequently, I list some changes in his description of the philosophical activity, showing that until the beginning of his middle-period philosophy, Wittgenstein maintains the perspective that the function of philosophy would be to distinguish between real (solvable) theoretical problems and philosophical pseudo-problems.