FORMAÇÃO DE PROFESSORES E CURRÍCULO ABERTO: REFLEXÕES SOBRE A PRÁXIS NA CIRCULAÇÃO DE SABERES

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E CURRÍCULO ABERTO: REFLEXÕES SOBRE A PRÁXIS NA CIRCULAÇÃO DE SABERES

Este artigo tem como objetivo relatar estudo sobre processos de construção teórica em sua faceta formativa, envolvendo a práxis pedagógica da leitura e escrita, no horizonte do vínculo  entre a produção teórica e educação. O cerne desse estudo é constituído de análises de artigos de pesquisa circula...

Guardado en:
Título de la revista: Revista Educar +
Autor: Álvaro Veiga Júnior
Idioma: No especificado
Enlace del documento: http://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/educarmais/article/view/496
Tipo de recurso: Documento de revista
Fuente: Revista Educar +; No 1 (Año 2016).
Entidad editora: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense / Universidade Federal do Pampa
Derechos de uso: Reconocimiento - NoComercial (by-nc)
Materias: Multidisciplinar --> Ciencias
Resumen: Este artigo tem como objetivo relatar estudo sobre processos de construção teórica em sua faceta formativa, envolvendo a práxis pedagógica da leitura e escrita, no horizonte do vínculo  entre a produção teórica e educação. O cerne desse estudo é constituído de análises de artigos de pesquisa circulados no congresso da Associação Nacional de Pesquisa em Educação. Fundamenta-se em autores e perspectivas consonantes para realizar pesquisa teórica stricto sensu. Em contato com o conjunto de textos aprovados no congresso, selecionados pelos temas currículo e formação de professores, sistematizando e (re)criando categorias, escreveu-se a experiência em diálogo com autores como Paulo Freire, - a leitura de mundo e a ética da pesquisa participante; Jorge Larrosa, com ensaio, acontecimento e experiência da leitura e escrita e, pesquisadores brasileiros que atualmente lecionam, como Carlos Rodrigues Brandão, Pedro Demo, Sílvio Sánchez Gamboa,  Marcos Reigota, Tomaz Tadeu da Silva, Marisa Vorraber Costa e Carlos Walter Porto-Goncalves. O trabalho empenhou-se em criar elos textuais entre uma educação multidimensional integradora e a valorização dos processos e meios, aumentando o seu repertório e qualificando o conjunto de conhecimentos nas intenções da teorização. Se há na formação de professores o paradigma do produto, que burocratiza e formaliza, há também o desejo do processo e da mediação. Conclui-se sobre a necessidade de promover a práxis e a decorrente teorização como discursividade e circulação de saberes nos currículos, e, com isto, contribuir para uma justiça epistêmica devida à educação, à ciência atual. Uma ciência que não seja “neutra” nem engajada individualmente, que nos convida a acionar ênfases em favor das minorias majoritárias.