O cenário do desejo amoroso: o locus amoenus em Propércio I.20

O cenário do desejo amoroso: o locus amoenus em Propércio I.20

Resumo: O poema I.20 de Propércio é frequentemente apontado pelos críticos como uma composição complexa, ou mesmo obscura. Nessa elegia de 52 versos, Propércio, lidando com matéria pederástica, alude ao episódio do rapto de Hilas, e traça um paralelo entre o famoso mito e a atual situação vivenciada...

Saved in:
Journal Title: Nuntius Antiquus
Author: Adir de Oliveira Fonseca Jr.
Traslated keyword:
Language: Undetermined
Get full text: https://periodicos.ufmg.br/index.php/nuntius_antiquus/article/view/17165
Resource type: Journal Article
Source: Nuntius Antiquus; Vol 11, No 1 (Year 2015).
Publisher: Universidade Federal de Minas Gerais
Usage rights: Reconocimiento (by)
Categories: Social Sciences/Humanities --> Language --AMP-- Linguistics
Social Sciences/Humanities --> Literature
Abstract: Resumo: O poema I.20 de Propércio é frequentemente apontado pelos críticos como uma composição complexa, ou mesmo obscura. Nessa elegia de 52 versos, Propércio, lidando com matéria pederástica, alude ao episódio do rapto de Hilas, e traça um paralelo entre o famoso mito e a atual situação vivenciada por Galo no plano amoroso. Ao fazer isso, Propércio recorre a diversos elementos típicos de um locus amoenus, de modo a descrever o lugar onde os eventos narrados transcorrem. Na verdade, uma análise atenta mostra como essa tópica também recebe um tratamento metapóetico, na medida em que certos vocábulos e imagens a ela associados parecem remeter diretamente ao gênero elegíaco. O presente artigo consistirá numa breve apresentação do mencionado poema, enfocando particularmente o motivo do cenário aprazível, em sua relação com a elegia e com outros gêneros poéticos. Palavras-chave: Propércio I.20; elegia; locus amoenus; mito de Hilas; metapoesia. Abstract: Propertius I.20 is often pointed out as a complex, or rather obscure composition by the critics. In this 52-verse elegy, Propertius, dealing with a pederastic theme, recalls the episode of the rape of Hylas, and draws a parallel between the famous myth and the actual situation experienced by Gallus on the plane of love. By doing so, Propertius employs several elements typical of a locus amoenus, in order to describe the setting where the events narrated take place. In fact, a close examination shows how this topos, too, receives a metapoetical treatment, insofar as certain words and images associated to it seem to refer directly to the elegiac genre. This paper, thus, will consist of a brief presentation of the mentioned poem, particularly focusing on the motive of the pleasant landscape, in its relationship with the elegy and other genres as well. Keywords: Propertius I.20; elegy; locus amoenus; Hylas myth; metapoetry.