Enfoques anti-utilitaristas e pós-coloniais aplicados a economias e sociedades camponesas

Enfoques anti-utilitaristas e pós-coloniais aplicados a economias e sociedades camponesas

Vários enfoques socioeconômicos associam agriculturas camponesas a sistemas de produção e redistribuição fundados em outras concepções do valor que aquela do valor de troca mercantil. O artigo examina três propostas de diversas origens que compartem uma analise comum das agriculturas camponesas em t...

Saved in:
Journal Title: REALIS. Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais
Author: Eric Sabourin
Traslated keyword:
Language: Undetermined
Get full text: https://periodicos.ufpe.br/revistas/realis/article/view/8779
Resource type: Journal Article
Source: REALIS. Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais; Vol 3, No 1 (Year 2013).
DOI:
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Social Sciences/Humanities --> Anthropology
Social Sciences/Humanities --> Political Science
Social Sciences/Humanities --> Art
Abstract: Vários enfoques socioeconômicos associam agriculturas camponesas a sistemas de produção e redistribuição fundados em outras concepções do valor que aquela do valor de troca mercantil. O artigo examina três propostas de diversas origens que compartem uma analise comum das agriculturas camponesas em torno das noções de ética, afeição, autonomia e resistência. Trata-se da Economia moral de Scott (1976), da Economia da Afeição de Hyden (1980) e do principio camponês de Ploeg (2008). Esses três autores se referem também ao principio de reciprocidade. Proponho primeiro de examinar esses três enfoques e como podem dialogar entre eles. Em segundo lugar analiso a sua contribuição em relação com a teoria da reciprocidade em antropologia (SCUBLA, 1985; TEMPLE, 1997, 2003).