Do pós-moderno ao pós-antigo

Do pós-moderno ao pós-antigo

Por paralelismo com o conceito de pós-moderno seria possível pensar o conceito de pós-antigo? Este último termo é usado de maneira rápida por Mikhail Bakhtin em sua análise da obra de François Rabelais, ao reportar-se a Antiguidade tardia. Para além do recorte histórico incluso no termo, pode-se per...

Saved in:
Journal Title: Classica. Revista Brasileira de Estudos Clássicos
Author: Marcus Vinicius de Freitas
Palabras clave:
Language: Portuguese
Get full text: https://revista.classica.org.br/classica/article/view/526
Resource type: Journal Article
Source: Classica. Revista Brasileira de Estudos Clássicos; Vol 9, No 9/10 (Year 1997).
DOI:
Publisher: Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos
Usage rights: Reconocimiento (by)
Subjects: Social Sciences/Humanities --> Humanities, Multidisciplinary
Social Sciences/Humanities --> Classics
Social Sciences/Humanities --> Literary Reviews
Abstract: Por paralelismo com o conceito de pós-moderno seria possível pensar o conceito de pós-antigo? Este último termo é usado de maneira rápida por Mikhail Bakhtin em sua análise da obra de François Rabelais, ao reportar-se a Antiguidade tardia. Para além do recorte histórico incluso no termo, pode-se perceber uma tentativa de uso conceitual que revela uma atitude crítica em relação ao conhecimento da Antiguidade. O presente texto propõe-se justamente avançar, a partir das categorizações propostas pela pós-modernidade, o proto-conceito bakhtiniano, especialmente no que concerne às questões da originalidade, do lugar do saber teórico e dos usos da tradição.