Da ilegalidade à certificação florestal: estudo de caso do manejo florestal comunitário no Baixo Amazonas

Da ilegalidade à certificação florestal: estudo de caso do manejo florestal comunitário no Baixo Amazonas

Este artigo analisa as mudanças no arranjo produtivo da madeira oriunda da extração comunitária, no município de Boa Vista do Ramos – Amazonas, decorrentes das alterações nas políticas ambientais e normas voltadas ao manejo florestal sustentável. Trata-se de uma pesquisa descritiva baseada em um est...

Saved in:
Journal Title: Ciência Florestal
First author: Philippe Waldhoff
Other Authors: Edson José Vidal da Silva
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: https://periodicos.ufsm.br/cienciaflorestal/article/view/6328
Resource type: Journal Article
Source: Ciência Florestal; Vol 29, No 4 (Year 2019).
DOI:
Publisher: Universidade Federal de Santa Maria
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial (by-nc)
Categories: Life Sciences --> Forestry
Abstract: Este artigo analisa as mudanças no arranjo produtivo da madeira oriunda da extração comunitária, no município de Boa Vista do Ramos – Amazonas, decorrentes das alterações nas políticas ambientais e normas voltadas ao manejo florestal sustentável. Trata-se de uma pesquisa descritiva baseada em um estudo de caso desenvolvido a partir de observação participante e entrevistas não estruturadas, realizados entre 1999 e 2007, período de contato direto com uma associação de produtores florestais e o ambiente. Foram verificados documentos relacionados à formalização e legalização das atividades e realizada uma revisão sobre as políticas e normas voltadas ao manejo florestal. A análise dos dados se deu a partir de 2011.Os resultados demonstram que os extratores de madeira, que desenvolviam suas atividades de maneira tradicional, tiveram de se adaptar às novas orientações políticas e técnicas. Houve uma mudança de um padrão de produção informal e ilegal para o manejo florestal comunitário juridicamente institucionalizado sob a forma de associação, com licença ambiental e certificação florestal. A coerção da sociedade visando à diminuição do desmatamento na Amazônia e o desenvolvimento de um ambiente favorável ao manejo florestal comunitário podem ser considerados como causas desta mudança. O conhecimento tradicional aliado ao técnico-científico foi o que possibilitou o desenvolvimento de um projeto de referência para a região. Por fim, a falta de estratégias específicas para o empoderamento dos manejadores florestais aliado a mudanças nas políticas públicas pode ter levado à busca por arranjos produtivos mais simples, mudando a orientação do manejo florestal de comunitário para o individual/familiar.
Translated abstract: This paper analyses changes on the arrangements of wood production from community forestry in Boa Vista do Ramos – Amazonas, resulting from alterations in environmental policies and sustainable forest management regulations. We present a descriptive research based in a case study and carried out through participant observation and non-structured interviews during a period with direct contact with a forestry association and the environment. Documents related to the formalization and legalization of the activity were analyzed and a review in policies and regulation related to forest management was made. Results demonstrated that the wood extractors, who used to develop their activities traditionally, had to adapt to new policy and technical orientations. There were changes in the illegal and informal pattern of production to a formalized, licensed and certificated community-based forest management. The coercion of the society to reduce the deforestation in Amazonia state and the development of a favorable situation to community forestry could be considered as causes of these changes. Traditional ecological knowledge allied with technical and scientific knowledge allowed the development of a reference project to the region. At last, the lack of specific strategies to the empowerment of the forest managers and changes in public policies could have led the search for simple productive arrangements, changing from community forestry to individual/familiar scale projects.