Gestão da Saúde Pública: Análise Sobre os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Humano

Gestão da Saúde Pública: Análise Sobre os Fatores Condicionantes do Desenvolvimento Humano

O objetivo das políticas de saúde é alcançar, a longo prazo, uma melhoria na qualidade de vida da população. Por meio da Atenção Primária à Saúde (APS) é possível perceber mais claramente a relação dessas políticas com o desenvolvimento humano. No entanto, a qualidade de vida pode ser influenciada p...

Guardado em:
Título da revista: Revista de Gestão em Sistemas de Saúde
Primer autor: Isabela Braga da Matta
Outros autores: Marco Aurélio Marques Ferreira;
Rosângela Minardi Mitre Cotta;
Rodrigo Siqueira-Batista
Palavras chave:
Palavras chave traducidas:
Idioma: Português
Ligação recurso: http://www.revistargss.org.br/ojs/index.php/rgss/article/view/200
Tipo de recurso: Artigo de revista
Fonte: Revista de Gestão em Sistemas de Saúde; Vol 5, No 1 (Ano 2016).
DOI:
Entidade editora: Universidade Nove de Julho
Direitos de utilização: Reconocimiento - NoComercial - CompartirIgual (by-nc-sa)
Matérias: Ciências Sociais e Humanidades --> História das Ciências Sociais
Resumo: O objetivo das políticas de saúde é alcançar, a longo prazo, uma melhoria na qualidade de vida da população. Por meio da Atenção Primária à Saúde (APS) é possível perceber mais claramente a relação dessas políticas com o desenvolvimento humano. No entanto, a qualidade de vida pode ser influenciada por outros fatores, que não só os relacionados com a saúde. No Brasil existem programas voltados para alguns desses diferentes aspectos. Este estudo utiliza como principais bases teóricas as referentes à Administração Pública, Qualidade de Vida e Atenção Primária à Saúde, com o intuito de verificar quais fatores influenciam no desenvolvimento humano municipal e, por consequência, na qualidade de vida da população. Para tanto, neste trabalho, pretendeu-se utilizar técnicas estatísticas de regressão e cluster em 761 municípios de Minas Gerais. Dessa forma, foi possível mostrar que a qualidade de vida é influenciada por vários fatores socioeconômicos, trabalhados por diversos setores do governo, como a Secretaria do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Ministério das Cidades e outros. Isso sustenta os argumentos de que o foco das políticas públicas deve ser ampliado de forma que trabalhem os fatores positivos que influenciam a qualidade de vida e corrijam outros pontos que influenciem negativamente. Essa prática possibilitaria alertar gestores sobre a importância da atenção primária, como cuidado para se conhecer as características do município, a fim de que se possa desenvolver políticas e programas específicos, de modo que a gestão municipal possa proporcionar melhores condições para a qualidade de vida da população. 
Resumo traduzido: The health policy’s long-term goal is to improve the quality of people’s lives. Through the Primary Health Care (PHC), it is possible to notice more clearly the relationship between these policies and human development. However, quality of life may be influenced by other factors, not only the health-´related ones. In Brazil, there are programmes for some of these different aspects. This study uses as its main theoretical basis the ones regarding Public Administration, Quality of Life and Primary Health Care, in order to determine which factors influence municipal human development, and, consequently, the quality of life. Therefore, in this work, we intend to use statistical techniques of regression and cluster in 761 cities of the State of Minas Gerais. Thus, it was possible to show that quality of life is influenced by various socioeconomic factors, worked out by many government areas, such as the Department of Social Development and Fight Against Hunger, the Ministry of Cities, and others. This supports the argument that the focus of public policy should be expanded in such a way that they work out the positive factors that influence the quality of life and correct other issues which influence negatively. This practice would allow for the warning of managers about the importance of primary care, such as attention to each city’s characteristics, in order to develop specific policies and programmes, so that the municipal administration can, similarly, provide better conditions for quality of life.