Pesquisas realizadas sobre educação matemática inclusiva no projeto obeduc em rede UFMS/UEPB/UFAL / Surveys on inclusive mathematic education in the obeduc network project UFMS/UEPB/UFAL

Pesquisas realizadas sobre educação matemática inclusiva no projeto obeduc em rede UFMS/UEPB/UFAL / Surveys on inclusive mathematic education in the obeduc network project UFMS/UEPB/UFAL

Apesar dos sabidos avanços nas políticas social e educacional brasileiras sobre inclusão e processos de inclusão ainda enfrentamos problemas em nossa sociedade, e em nossas escolas, com relação à referida questão. Por esta razão, uma das equipes do Núcleo UEPB do Projeto Observatório da Educação OBE...

Saved in:
Journal Title: Brazilian Journal of Development
First author: Abigail Fregni Lins
Other Authors: Patrícia Sandalo Pereira;
Priscila Araújo Simões;
Andréa de Andrade Moura
Palabras clave:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.brjd.com.br/index.php/BRJD/article/view/3435
Resource type: Journal Article
Source: Brazilian Journal of Development; Vol 5, No 9 (Year 2019).
DOI: http://dx.doi.org/10.34117/bjdv5n9-189
Publisher: Instituto de Educação e Pós-Graduação em Negócios
Usage rights: Reconocimiento (by)
Categories: Social Sciences/Humanities --> Public Administration
Social Sciences/Humanities --> Social Issues
Social Sciences/Humanities --> Social Sciences, Interdisciplinary
Abstract: Apesar dos sabidos avanços nas políticas social e educacional brasileiras sobre inclusão e processos de inclusão ainda enfrentamos problemas em nossa sociedade, e em nossas escolas, com relação à referida questão. Por esta razão, uma das equipes do Núcleo UEPB do Projeto Observatório da Educação OBEDUC em rede UFMS/UEPB/UFAL voltou-se para a educação matemática inclusiva. Apresentamos neste artigo duas das cinco pesquisas desenvolvidas, as quais, baseando-se em uma proposta didática elaborada sobre conteúdos matemáticos por cinco membros da Equipe Educação Matemática e Deficiência Visual do Projeto OBEDUC Núcleo UEPB, aplicada a vinte e três alunos cegos e de baixa visão de uma escola pública na cidade de Campina Grande, Paraíba, dizem respeito a saberes docentes de seis professores de Matemática sobre prática inclusiva e utilização do Jogo da Velha em tamanho ampliado com peças adaptadas como possibilidade de se trabalhar conceitos geométricos. De abordagem qualitativa, as pesquisas mostraram lacunas no conhecimento docente sobre a utilização do Braille e manipulação de materiais. Por outro lado, as pesquisas mostraram que a utilização do Jogo da Velha como material manipulável melhorou a compreensão de conceitos geométricos pelos alunos cegos, de baixa visão e videntes, evidenciando a capacidade dos alunos de aprender e desenvolver o conhecimento matemático de acordo com o proporcionado a cada um deles.