Contadores de histórias – oficinas sobre sexualidade com adolescentes

Contadores de histórias – oficinas sobre sexualidade com adolescentes

Este trabalho analisa uma intervenção em educação da saúde realizada por meio de oficinas de contadores de histórias com um grupo de 19 adolescentes atendidos em um programa sócio-educativo na cidade de Porto Alegre. O objetivo do estudo foi problematizar a sexualidade, a partir da leitura e elabora...

Guardado em:
Título traduzido: Storytellers – workshops about sexuality with adolescents
Título da revista: Quaderns de Psicología
Primer autor: Fabio Augusto Lise
Outros autores: Stela Nazareth Meneghel
Palavras chave:
Palavras chave traducidas:
Idioma: Espanhol
Ligação recurso: https://www.quadernsdepsicologia.cat/article/view/v14-n1-lise-meneghel
Tipo de recurso: Artigo de revista
Fonte: Quaderns de Psicología; Vol 14, No 1 (Ano 2012).
DOI: http://dx.doi.org/10.5565/rev/qpsicologia.1128
Entidade editora: Universitat Autònoma de Barcelona
Direitos de utilização: Reconocimiento (by)
Matérias: Ciências Sociais e Humanidades --> Ciências Sociais
Resumo: Este trabalho analisa uma intervenção em educação da saúde realizada por meio de oficinas de contadores de histórias com um grupo de 19 adolescentes atendidos em um programa sócio-educativo na cidade de Porto Alegre. O objetivo do estudo foi problematizar a sexualidade, a partir da leitura e elaboração de histórias pelos jovens. A análise dos dados pautou-se nos estudos de Michel Foucault. Nas conversas e nas histórias construídas, os jovens contaram das violências presentes no cotidiano: a pobreza, a fome, a droga, a vida na rua, o tratamento desigual que recebem na instituição. Usaram repertórios onde se mesclam padrões tradicionais sobre sexo/gênero, traduzidos no desejo de namorar, casar, ter filhos e, ao mesmo tempo, usaram gírias e ironias em relação aos aspectos proibidos da sexualidade. Os jovens manifestaram receio em se comprometer com a proposta das oficinas, referindo-se a si mesmos como aqueles que não são capazes de apreender. Oficinas de histórias podem ser de valia nas práticas de educação em saúde como ferramentas para trabalhar com pessoas vulneráveis, inclusive adolescentes.
Resumo traduzido: This work analyses a public health intervention based on storytellers’ workshops with 19 adolescents attended by a social and educative program in Porto Alegre city. The study objective was to problematize sexuality, starting from story reading and elaboration by the teenagers. The data analysis was based on Michel Foucault studies. The teenagers throughout the conversations and the stories constructions talked about the violent situations on daily life: the poverty, the hunger, the drugs, the street life, and the unequal treatment they receive at institution. They used repertoires that mixed traditional patterns related to sex/gender, translated in the desire for dating, getting married, having children and, at the same time, they used a vocabulary of slang and ironies related to forbidden aspects of sexuality. The teenagers were afraid to establish a commitment with the proposal, referring themselves as the ones who are not capable of learning. Story workshops can be helpful as tools in educational health practices, in order to work with people who present vulnerability issues, including adolescents.